Arquitetura de Empresas

A criação e manutenção de Arquiteturas estratégicas para as empresas não tem recebido a atenção devida, num momento em que a paisagem corporativa continua a exercer pressão para tornar as organizações mais eficientes. Atualmente, a implementação unificada de uma Arquitetura Empresarial está no ponto de se tornar a atividade mais importante de qualquer negócio.

A Arquitetura Empresarial auxilia os negócios, ao permitir que os gestores tenham uma perspetiva sobre funções mais reduzidas no conjunto da empresa. Ela designa uma relação entre objetivos e processos que permite aos empresários organizar, aferir e implementar mudanças baseadas num conjunto de esquemas, que variam consoante a necessidade, seja ela de avaliação do produto ou de relatórios sobre a experiência do consumidor, por exemplo.

Architecture CompaniesAo estabelecer uma Arquitetura Corporativa, todos os seus elementos devem ser reunidos num único espaço, num ciclo que é constituído habitualmente por 4 fases: primeiro, o arquiteto recebe informação sobre novas estratégias, objetivos e processos que podem não estar a funcionar corretamente. Depois, deve atender a possíveis implicações e relacioná-las com o “input” recebido. Em terceiro lugar, o arquiteto introduz alterações com base nas suas implicações mais abrangentes. Por fim, o processo recomeça. Este ciclo permite ao arquiteto avaliar todas as áreas da empresa, incluindo as que possam ter sido negligenciadas, e propor alterações que a beneficiem.

Embora haja diferenças entre as organizações, que comportam especificidades distintas para cada Arquitetura Corporativa, os seis principais passos para se criar uma estrutura são:

  • 1. Avaliar a situação atual e chegar a um acordo sobre as fragilidades;
  • 2. Selecionar uma estrutura, uma plataforma e uma metodologia;
  • 3. Escolher ferramentas;
  • 4. Investir na organização;
  • 5. Utilizar a Arquitetura;
  • 6. Fazer a sua manutenção e atualização.

Ao implementar uma Arquitetura Empresarial, é importante avaliar o ambiente existente, conversar com os utilizadores representativos, ler a documentação relevante e estudar os sistemas em vigor. Deve-se procurar problemas inerentes ao desempenho das funções da empresa, recolhendo e organizando a informação em diagramas conceptuais. Com a devida preparação, é possível conquistar a adesão dos gestores, colaboradores e subordinados e contar com o seu apoio para a implementação do sistema.